DRAMA, TRAGEDIA! MAS VOCÊ PODE AJUDAR A ESTE POLICIAL MILITAR DE SAMAMBAIA, DF, PARAPLÉGICO E QUE TEVE O FILHO VÍTIMA DA VIOLÊNCIA!

quinta-feira, 6 de julho de 2017 0 comentários
SARGENTO PM PARAPLÉGICO PEDE AJUDA PARA DESPESAS COM FILHO BALEADO.



PM paraplégico pede ajuda para despesas com filho baleado
André Pompílio, 19 anos, levou um tiro na nuca e está internado em um hospital no Gama. Pai pede ajuda financeira para os gastos

Único policial militar do Distrito Federal a continuar em serviço depois de ficar paraplégico, o sargento Hélvio Pompílio pede ajuda para socorrer o filho. O jovem André Pompílio, 19 anos, levou um tiro na nuca e pode ficar tetraplégico, sem os movimentos dos quatro membros.
No sábado (1º/7), o rapaz foi baleado em Valparaíso (GO), no Entorno do DF. Ele estava com a namorada em uma praça da cidade quando o ex-parceiro da jovem chegou ao local. Inconformado com o namoro dos dois, efetuou disparos à queima-roupa em André. Um dos tiros acertou a 4ª vértebra da coluna do jovem.
“Estou sem chão. Se pudesse eu tomava o lugar dele. Não consigo nem dormir. É uma espada no coração, me sinto impotente.”

Ele está internado no Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, mas foi atendido no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Segundo Pompílio, os gastos com material que não tinham no estoque da unidade pública foram altos. Ele contou que precisou comprar de roupa de cama a álcool gel. As despesas com transporte também aumentaram substancialmente. O militar pede também ajuda de um neurocirurgião para avaliar o estado clínico de seu filho.
“Me sinto impotente de ver o meu filho sofrendo daquele jeito. Estou precisando da ajuda financeira de vocês. Não tenho medo nem vergonha de pedir. Não é dinheiro para esbanjar, não, é material para ajudá-lo. Está faltando tudo lá (Hospital de Base). Tive um gasto enorme. Estou tendo gasto com transporte e sem suporte financeiro.”"
Hélvio Santos Pompílio, sargento do 11º BPM

“Me sinto impotente de ver o meu filho sofrendo daquele jeito. Estou precisando da ajuda financeira de vocês. Não tenho medo nem vergonha de pedir. Não é dinheiro para esbanjar, não, é material para ajudá-lo. Está faltando tudo lá (Hospital de Base). Tive um gasto enorme. Estou tendo gasto com transporte e sem suporte financeiro.”"
André é o braço direito do pai Hélvio. Passou a ajudá-lo ainda mais após o crime ocorrido em 2012.
duas vítimas da violencia:

Pompílio, 43 anos, foi vítima de disparo de assaltantes próximo à Loja Fujioka, na quadra 416 da Samambaia.
Fora do horário de serviço, ele tentou conter a ação dos bandidos e acabou atingido. Foi constatada uma lesão medular, que o levou a perder o movimento das pernas. Mesmo podendo se aposentar, o sargento decidiu seguir trabalhando.

A Secretaria de Saúde foi procurada pelo Metrópoles para se manifestar sobre a falta de produtos no Hospital de Base, mas até a publicação desta reportagem não havia se pronunciado.

Contas para ajudar o sargento Pompílio:

Nome: Hélvio Santos Pompílio
CPF 563838271-20
BANCO BRB
AGÊNCIA: 053
CONTA CORRENTE: 0331896

Nome: Hélvio Santos Pompílio
CPF: 563838271-20
BANCO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
AGÊNCIA: 4167
OPERAÇÃO: 001
CONTA CORRENTE: 23295-3

metropoles.com

0 comentários :

Postar um comentário