NOMEAÇÕES NA CULTURA CONTINUAM DANDO REPERCUSSÃO NEGATIVA E TALVEZ ATÉ PROCESSOS CONTRA FORMADORES DE OPINIÃO QUE LUTARAM MUITO POR ELA

quarta-feira, 15 de maio de 2019 1 comentários
ENTENDA PORQUE A CULTURA NÃO FLORESCE NAS MÃOS DE POLÍTICOS EGOÍSTAS!

Ao desrespeitar a lista votada pelos moradores, distrital Jorge Viana, em tempo, "Vianna" com dois "enes", cria clima de descontentamento e protestos em antigos e novos fazedores de arte e cultura em Samambaia!

“VOU TE PROCESSAR”! a velha prática está de volta!
Em tempos modernos, virou moda processar formadores de opinião, que expressem alguma opinião contrária a deles.
A CLDF traz em sua história, além de dezenas de distritais processados e até alguns já presos, todo um histórico de decisões e criações de leis  em desacordo com normas jurídicas estabelecidas que se tornaram contestadas pela Justiça.
Embora equipada com um  custoso e enorme aparato de funcionários  nomeados, alguns até mesmo semi-analfabetos como reconheceu certa deputada distrital, mas que estavam em seu gabinete porque “ajudaram” na sua campanha, além dos que fazem parte do quadro permanente, mesmo assim  a casa se tornou humoristicamente famosa tanto pela gastança absurda, quanto pela precariedade de sua atuação que assusta a população, quando confrontada com a mísera produção de leis diante dos gastos biliardários, além das brigas folclóricas entre seus integrantes de situação e oposição.
Ainda existe o histórico dos famosos processos movidos contra jornalistas e formadores de opinião, usando o sistema jurídico a disposição deles, com advogados muito bem pagos é claro, com o dinheiro dos impostos.
Algo mais ou menos como aquele meme da esquerda que roda folcloricamente pelas redes sociais e que diz; “Comunistas, dirijam-se para Cuba: aí o sujeito responde; mi xingô, vô proçessá”!
E mais uma vez e mostrando que vai seguir a risca a cartilha dos novos “todos-poderosos” da casa, um outro distrital aparece agora em evidencia por ter nomeado um cunhado e um sobrinho para cargos no Governo do Distrito Federal, contrariando a lei, e a decisão emanada do que foi escolha popular pelo voto, e já participando de velhos hábitos e práticas, facilmente adotados numa câmara que não presta contas desde que inaugurada, do que faz, a sociedade que os elege.
A história se dá quando após inaugurado e obedecendo ao que diz a letra da lei, aconteceram eleições para a lista tríplice que seria encarregada de gerir os destinos do Complexo Cultural bem como de todos os aspectos culturais em Samambaia, ele que recém inaugurado, está fadado independentemente das decisões políticas, a ser um polo gerador e irradiador de arte e cultura para todo o DF, e que foi uma conquista em árdua luta por 12 anos, dos que trabalham pelas Artes e Cultura na cidade de Samambaia.
Esta mesma que o distrital em tela, Jorge Viana(perdão, ele exige que em preciosismo extremado, embora de seu direito, siga-se a sagrada regra ortográfica que define seu nome com dois “eNes”!), portanto, Jorge Vianna, resolveu atropelar o resultado da escolha popular, confrontando o quase secular grupo de dirigentes da Cultura em Samambaia, e  também um dos seus maiores expoentes, o jornalista e artista plástico Elton Skartazini além é claro dos outros componentes da lista tríplice que os eleitores da cidade escolheram por eleições livres e agora atropelados pelo distrital justo ele, eleito pelos mesmos ditames e que nomeou ninguém mais que seu sobrinho para ser um dos gestores culturais na difícil questão, aliás, onde ele nunca se fez presente nas discussões, lutas e reivindicações, do Complexo Cultural. E agora com seus minguados e magérrimos 1.500 votos nas eleições passadas, tomou conta das decisões, escorraçando com verbalizações agressivas, a todas as lideranças e formadores de opinião que não fazem parte do seu tosco grupo de apoiadores, alguns, sem qualquer sinal de atuação nas lutas da cidade e propondo a eliminação pura e simples da participação de antigos líderes, e de lideranças comunitárias não alinhadas com ele, nas decisões político-administrativas de Samambaia.
O novato distrital até então de pouca ou nenhuma expressão politica na cidade, deu uma "banana" para a decisão dos eleitores em votação cansativa e tumultuda para a escolha dos gestores culturais em Samambaia! De volta ao que parece, a velha e tradicional politica comezinha do “aqui mando eu e ninguém mais”!
O mais interessante é que após nomear o administrador regional William Lima, também seu aliado, junto com o chefe de gabinete, e agora seu sobrinho, Jorge Viana, oops! “Vianna”, ainda assim, parece não ter enxergado que está cegamente na contramão do processo que vem sendo pregado há tempos pelos que realmente sabem fazer política, de que o ideal é juntar-se aos que tem história de lutas, ouvir o povo e atender primeiro a uma busca de solução para os problemas graves que a cidade tem os quais são largamente sabido por todos, e com isto captar dividendos políticos que vem pela realização de boas obras em benefício da população, e não favorecimento pessoal a grupo de bajuladores e oportunistas, que seguramente estavam em outros quadros fazendo o mesmo como é sobejamente conhecida a história de alguns componentes do seu atual grupo.

O prejuízo é claro, é de toda uma comunidade que mesmo em sua maioria não votou nele, e é quem paga para sustentar uma estrutura viciada e malfeita de governo, que não consegue há tempos históricos resolver problemas como cortar o mato alto, refazer uma simples praça,ou tapar buracos numa cidade que já ficou folcloricamente exposta por sua buraqueira, e enfim fazer obras que atendam o que vem sendo buscado pelos moradores há muito tempo: funcionamento ideal da custosa máquina de governo.
Pelo visto, em função de já reconhecida exacerbação de propósitos pessoais do distrital com seu jeito de mostrar o punho estranhamente erguido, em tom de aparente bravata, tudo se encaminha para ser o mesmo velho filme de péssima qualidade visto por  todos, com o pior quadro de governantes que já se viu na história de Samambaia, com o tosco e rotundo ex-distrital da gestão passada que inchou o quadro de funcionários, enganou a cidade inteira, e foi aquinhoado com a agora 'boquinha' de deputado federal, o que faz muitos pela cidade  se perguntarem, sobre o que o povo tem na cabeça, para eleger políticos tão enganadores e chinfrins.
Parece que estamos a caminho de uma história repetida a ser apagada pela História rapidamente tamanha a sua mediocridade.
Espera-se um pronunciamento forte dos atuais e pioneiros gestores ou operadores, que estão a frente do Conselho de Cultura local.
Samambaia esperava um tempo melhor em sua vida politica.



1 comentários :

Postar um comentário