UMA "LEOA" COM UM RUGIDO QUE SÓ ASSUSTA QUEM NÃO A CONHECE! UM CARA, DOIS PESOS E VÁRIAS MEDIDAS!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015 0 comentários

UMA LEOA COM UM RUGIDO QUE SÓ ASSUSTA QUEM NÃO A CONHECE!
DUAS CARAS, DOIS PESOS E VÁRIAS MEDIDAS.


A história da política em todos os tempos, desde por exemplo, a Grécia antiga, onde os políticos atendiam ao povo vestidos com túnicas brancas no Areópago, ou na antiga Roma e seu Senado, estes que foram pais e mães  da moderna democracia, tem também o seu lado venenoso e espinhoso.
Hoje já não se procura mais um homem (ou mulher é claro) bom, decente e honesto, com uma lanterna pelas ruas como fazia Sóstenes, mas se procura pelas mazelas destas mesma e impolutas (prá não dizer o cansativo contrário) figuras de modo bem mais prático e eficiente, pela internet.
Ou melhor, nem é preciso procurar, tal a facilidade de separar numa pesquisa sobre qualquer assunto que não seja mesmo a tão procrastinada política, e pasmem, não mais que de repente lá estão eles em “zilhões” de referências a seus passados e maldades, ou roubos ao bem público, aleivosias, falsidades, traições, tanto ao povo quanto aos companheiros(palavrinha gasta e surrada esta também!) e outras tantas referências até mesmo a vida particular, privada, e privada mesmo, nos dois sentidos do léxico das tais figuras públicas da política no Brasil inteiro!
Recentemente os brasilienses ficaram de boca aberta ao saberem das farras de mil e uma noites, pagos por grandes empresas hoje enquadradas na Operação Lavajato, que começou ali, bem no posto da Torre de tanta história e tradição em Brasília, e que mantinham um casarão, (ou será a “mansão dos prazeres proibidos?)para políticos e mega empresários se fartarem dos melhores vinhos, uísques e “champã” ao lado de belas e bem pagas moçoilas daqueles que você vê desfilando depois pelas ruas, e diz assim:” Essa é a nora que mamãe pediu”, frente a tão bom, honesto e fantasioso delírio em forma feminina, mas que é claro, tem que ser tratada com respeito sob o risco de ela considerar até mesmo sua piscadinha ou coiote, como assédio sexual e de repente ser acudida e protegida por um batalhão de policiais que vão lhe encher de porrada e levar você em cana! 
Mas afinal, aparência é tudo!
Mas de volta a vaca fria, a gente sempre se depara na terrível e indiscreta net e suas redes sociais com cada coisa que arrepiaria até os pelos da pontinha do rabo do cão!
Duvida? Então veja mais esta:
Hoje temos que tratá-la de “Excelencia”, mas antes veja só como eram as coisas aí por volta de 2011; quase um fim para a iniciante e cheia de suspeições, distrital Celina Leão.

Karlão-Sam.

MEMÓRIA NA NET:


É, amigos...a net é silenciosa mas guarda tudo em silêncio também!
Neste ano de 2011, primeiro mandato, a deputada Celina Leão convida o “amigo” para assessorá-la e o pé frio de Sandro de Morais Vieira entra em ação. 

O estigma de Jaqueline Roriz e da Caixa de Pandora, por pouco não pôs fim ao primeiro mandato de Celina, ainda não tão leoa, ela que foi  a super chefe de Jaqueline durante seu mandato e até a sua derrocada.
Mas o eleitor do DF  não a perdoou, apesar da conversinha mole durante a campanha do tipo "Meu pai Joaquim Roriz me ensinou que..."

PARTE I:
A jovem deputada está à beira de perder o mandato, tendo que enfrentar, até agora, duas representações que irão investigar o seu envolvimento com a deputada Jaqueline Roriz, da qual era chefe de gabinete e dos “negócios” de sua família com o Poder Público. Se depender do “pé frio” de seu assessor, a deputada já pode dar como certa a sua cassação.

Sandro, que se autointitula “esperto” e é visivelmente ambicioso levou consigo para o mandato de Celina Leão toda a sua família (os Morais Vieira), são eles:SÍLVIO DE MORAIS VIEIRA (irmão) (Salário de R$6.667,79 Cargo SP 01), advogado e auditor fiscal do GDF, está lotado na liderança do Bloco Partidário Avanço Democrático.
Quando foi chefe do Setor de Pessoal da Secretaria de Cultura respondeu, junto ao TCDF, processo por ter dado posse a músicos da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional sem os requisitos legais; ALCIDINO VIEIRA JÚNIOR(irmão), técnico penitenciário, serviu a deputada Jaqueline Roriz, no mandato passado. É ligado ao sindicato da categoria e ainda não foi nomeado no gabinete da deputada Celina Leão, em razão do trâmite de sua cessão junto ao órgão de origem.
Porém, tem dado expediente no gabinete desde o início do mandato; MARIA BALBINA DE MORAIS VIEIRA (mãe) (Salário de R$9.163,79 Cargo CL 14), professora e pedagoga, já exerceu várias atividades na administração pública do DF. Foi diretora de escola, administradora do Gama, chefe da DRH da própria Câmara Legislativa e assessora especial da secretaria de Governo. Na maioria das vezes o apadrinhamento se deu por suas relações políticas com a deputada Eurides Brito, que no ano de 2006 lhe outorgou o Título de Cidadã Honorária de Brasília. Dia 22 deste mês, Celina Leão a nomeou para ser a secretária da Comissão de Ética, da qual preside. Por que será?
quinta-feira, 24 de março de 2011

PARTE II-NA MESMA ÉPOCA:
ELA DE NOVO!
quinta-feira, 24 de março de 2011
O PÉ FRIO DE CELINA LEÃO






 Um pé frio está entre os assessores da deputada Celina Leão (PMN). O nome dele é SANDRO DE MORAIS VIEIRA (Salário de R$ 11.954,26 Cargo CNE 01), advogado e servidor do Superior Tribunal de Justiça, ex-assessor e fiel confidente da deputada cassada Eurides Brito, aquela mesma que enfiava o dinheiro na bolsa perante o Durval Barbosa. Ele já demonstrou que não dá sorte para suas chefetas. Quando assessorou Eurides na Legislatura de 2003/2006, a Câmara Legislativa abriu a CPI da Educação para apurar os ilícitos, relacionados ao transporte escolar, cometidos na gestão da parlamentar à frente da secretaria de Educação no governo Roriz. Pois bem, a deputada foi indiciada e por pouco não perdera o mandato já naquela ocasião. Segundo o Relatório Final da CPI, Sandro também foi indiciado pelas seguintes razões:
 (http://www.ensinopublico.pro.br/Documentos/Dinheiro/27122008205019.pdf) “a) ter rendimentos líquidos declarados insuficientes para justificar sua variação patrimonial (item 7.5); b) por apresentar volume de gastos pessoais incompatível com os seus rendimentos declarados, evidenciando sinais de enriquecimento ilícito (item 7.5); c) prestar declaração falsa e/ou omitir, total ou parcialmente, informação que devia ser produzida a agentes das pessoas jurídicas de direito público interno, com a intenção de eximir-se, total ou parcialmente, do pagamento de tributos, taxas e quaisquer adicionais devidos por lei (item 7.5); d) inserir elementos inexatos e/ou omitir, rendimentos ou operações de qualquer natureza em documentos  ou livros exigidos pelas leis fiscais com a intenção de exonerar-se do pagamento de tributos devidos à Fazenda Pública (item 7.5); Diante das condutas acima descritas esta CPI recomenda o indiciamento do Sr. SANDRO DE MORAIS VIEIRA pela prática dos crimes previstos no artigo 1º da Lei 4.729/65 (sonegação fiscal); pela prática dos crimes previstos nos artigos 1º e 2º da Lei nº 8.137/90 (crimes contra a ordem tributária). Ressalvamos a possibilidade de existência de outros crimes após a análise dos documentos relativos à quebra do sigilo bancário, que ainda não chegaram a esta CPI, mas que serão encaminhados ao Ministério Público do Distrito Federal tão logo estejam disponíveis”.

No mandato seguinte, Legislatura de 2007/2010, lá estava o Sandro novamente assessorando a deputada Eurides Brito, que acabara de assumir a vaga deixada pelo deputado Pedro Passos que havia renunciado ao mandato após denúncia de obras superfaturadas da empresa Gautama.

Em 2009 a Operação Caixa de Pandora, deflagrada pela MPDFT-MPF-STJ-PF, iniciou o calvário que a deputada teria que enfrentar no ano de 2010, resultando na cassação de seu mandato e sendo de vez surrupiada da vida pública pelos seus pares. Neste episódio, Sandro foi decisivo para ajudar a assar a batata de Eurides. Entre as anotações encontradas na agenda da deputada o nome de Sandro aparecia ao lado do valor de R$ 6.000,00, sugerindo um repasse por parte do assessor.

E DEPOIS NÃO QUEREM  QUE OS CRÍTICOS FALEM MAL!
Como aqui neste caso narrado pelo Correio de Santa Maria tradicional e respeitado jornal daquela cidade do DF:
(Charge do Correio de Santa Maria)

 Longe daquela Celina leão que iniciou sua carreira como uma espécie de secretária da ex deputada (da bolsa) cassada por corrupção, vemos hoje em sua pessoa um ser arrogante, autoritário e do tipo que faz de tudo para agradar seus apaniguados e militantes do mesmo partido, nem que para isso tenha que dar crédito a boatos para depois perseguir quem quer que seja. Quem não reza na cartilha editada pelas vontades de Celina Leão, sofre perseguição e discriminação e até acusações de terem postado matérias com críticas contra a casa na qual ela esta presidente, principalmente se tocar nas sujeiras que são jogadas embaixo do tapete, como as que vimos recentemente de dois ou três distritais que apresentaram notas fiscais falsificadas para justificar supostos gastos, o que no entender da Penélope deve estar tudo dentro dos meios legais, tal como o escândalo dos gastos com combustível do qual ela também foi protagonista.
Sem ter coragem de olhar olho no olho das pessoas As quais ela apunhalou caluniando covardemente, agindo de dentro de seu gabinete via telefone, determinou ao diretor de coordenação de comunicação social da casa a exclusão de três veículos de comunicação acusados por ela de oposição à CLDF. Porém, o que os jornais noticiaram foi a onda de invasões existente na cidade de Santa Maria, tudo isso, sob o olhar ausente do administrador regional que no passado “grilou alguns terrenos do PRÓ-DF, e isso, todo mundo na cidade sabe. mas, como pertence ao partido da “leoa”, teria sido melhor cutucar onça com vara curta.
O que deve ter chateado a toda poderosa Celina leão, com certeza, foi o fato das denúncias serem levadas ao deputado distrital Wasny de Roure que fez um pronunciamento sobre o que vem acontecendo na cidade além de cobrar providências do Ministério Público quanto à investigação do caso. Isso deve ter chateado a Penélope, de tal maneira que a fez passar de representante do povo a perseguidora de um informativo que, seu papel principal e ser porta voz desse mesmo povo que só é lembrado por políticos tipo Celina Leão no tempo de campanhas para pedir votos. Por ocasião do início de sua carreia política, na primeira legislatura quando de suas vindas à cidade tanto ela quanto os seus assessores, pediam a esse mesmo veículo agora perseguido, a publicação de suas caminhadas pela cidade, de preferência que nada fosse cobrado por não ter condições de pagar pelas matérias, já que estava quebrada. Hoje, na qualidade de “presidente” da Câmara Legislativa do Distrito Federal o poder lhe subiu e continua subindo a cabeça, principalmente quando lê matérias estampando suas ações e ordens com a manchete: “O RUGIDO DA LEOA”, mas, para quem convive diariamente na casa percebe que nem tudo acontece como regem as normas.
Como em todos os segmentos, a CLDF tem os bons, razoáveis e ruins parlamentares promovendo cada tipo de ação que quando achamos que isso só acontecia na sucupira do Bem-Amado, basta ir à Câmara Legislativa para sermos surpreendidos com temas que só servem para gastar o tempo, papel e tinta, além das aprovações de projetos inconstitucionais que parecem mais brincadeira.
Voltando a Celina Leão, seus primeiros passos políticos foram na sombra de Jaqueline Roriz, porem, mais tarde Celina foi acusada de se beneficiar de esquemas que chegaram a ameçar a trajetória da amiga, tendo ainda o seu marido Fabrício Faleiro Ferreira Hizim, atestado as obras realizadas em Samambaia em 2008 e 2009 pela Entec Consultoria e Engenharia Ltda, contratada pela administração regional da cidade. 

Contato com o povo e pé no chão? Só mesmo em época de campanha!


Mas, mesmo Celina tendo alegado que nem ela nem o marido participaram do processo, documentos obtidos com exclusividade pelo Correio Braziliense junto ao MP demonstraram que Fabrício assinou atestados de execução dos serviços para a regional.

Outro escândalo que caiu no esquecimento da casa, mas, está vivo na memória do eleitor, foi o fato do deputado calouro Rafael Prudente ter mandado colocar guarita dentro do parcelamento que estava sendo feito em terras públicas. A empresa de vigilância armada do deputado “tocou o terror” contra os moradores disparando tiros de armas de fogo pesadas (escopetas de repetição) durante a noite para intimidar os condôminos. A empresa também foi acusada de desmatar uma área verde do parcelamento para em seguida enviar fotos para a Delegacia do Meio Ambiente, como se tal desmatamento tivesse sido feito pelo condomínio.
Várias ocorrências foram registradas na polícia, inclusive com algumas denúncias feitas na Superintendência da Policia Federal sobre as atividades clandestinas da empresa 5 Estrelas dentro dos condomínios, mas, na CLDF, caiu no esquecimento.
Já na sessão que iria decidir o futuro dos concursados do Metrô – DF, a mesma não foi realizada por ter sido julgada sem quórum, apesar de ter sido registrada a presença de 23 deputados em lista de presença.
Mais adiante, na Casa do Povo, professores foram expulsos sob pancadas da Galeria da Câmara Legislativa
A mais nova como dizia Odorico Paraguaçu, digna de ser escrita por um ROMANCEIRO VAGABUNDISTA (romancista andarilho) se refere a farra na Câmara Distrital com a verba indenizatória divulgada com exclusividade no programa Retrato Falado que ganhou repercussão nos grandes jornais escritos, televisivos e internet. A denúncia não se refere apenas os gastos extraordinários, mas sim, nas prestações de contas dos deputados que fraudam notas fiscais e recibos a fim de receber as restituições.
O exemplo divulgado no programa Retrato Falado na OK FM foi dos deputados peemedebistas, Robério Negreiros, Rafael Prudente e Cristiano Araújo (PTB), as notas apresentadas justificariam o aluguel de veículos de modelo Fusion na mesma locadora com notas sequenciadas em prestações de contas diferenciadas dos parlamentares.
O que acontece na verdade, a locadora Agile não tem o modelo Fusion em sua frota, caracterizando fraudes nas notas fiscais e mais, o deputado distrital Cristiano Araújo (PTB) apresentou também outra nota de locação de veículo da locadora Karper Rent Car onde a retirada do veículo foi dia 14 de outubro de 2014 e a quilometragem do veículo era de 25.847 KM e a devolução no dia 31 de outubro de 2014 a quilometragem na devolução estava em 25.847 KM. Pelo visto o carro não saiu do lugar, mas foram apresentadas pelo deputado notas fiscais de combustível para o veículo no valor total de mais de R$ 1500,00. O equivalente para ir ao Rio de Janeiro, três vezes ida e volta.
A fraude é grotesca e a impunidade impera. Vale à pena lembrar que a farra com o dinheiro das verbas indenizatórias faz o deputado Cristiano Araújo liderar o ranking de gastos, tendo até a presidente Celina Leão logo atrás. Alguns detalhes constam no site da ONG Adote um Distrital e publicado agora no QuidNovi
O último, envolvendo mais um distrital, foi o fato da Secretaria de Educação realizar um pregão para vigilância armada, supervisão motorizada, com fornecimento de mão de obra, materiais e equipamentos, para atender a segurança das Instituições educacionais e Coordenações Regionais de Ensino do GDF. O pregão foi divido em 2 lotes. 
O Lote 2, tudo certo, foi vencido pela CONFEDERAL. Já o lote 1, quem venceu, foi a BRASFORT, pertencente à família do deputado distrital, Robério Negreiros (foto), só que desta vez, tudo errado.
A Lei diz que a fase aleatória do pregão deve durar de 1min a 30 min, antes de declarar o vencedor, contudo, em apenas 6 (seis) segundos, o sistema foi encerrado, não dando chance a mais nenhuma empresa. O que levou os cerca de 8 concorrentes a entrarem com pedido de impugnação do processo licitatório.
Com todos esses infortúnios, existem aqueles distritais que representam dignamente o povo, e que sem dúvida alguma devem se envergonhar diante de tanta mazela, corrupção e desmandos.
Portanto, mesmo sabendo que fazer denuncia de colegas de partido ou oposição a gestão da Penélope é uma atividade difícil e perigosa. Mesmo assim, o Jornal Correio de Santa Maria não se curvará diante das vontades ou perseguições de Celina malvadeza.

OBS: Desde a criação do Jornal com o primeiro nome jornal Cidade Livre e depois com o nome Correio de Santa de Santa Maria, temos em arquivo o PDF de todos os exemplares. 
Na próxima matéria iremos reprisar Celina Leão pedindo ajuda do Correio de Santa Maria (em 2010) se dizendo candidata pobre e sem condições de pagar. Começamos a ajudar Celina Leão, por que financeiramente era uma quebrada, mas também por consideração a Jaqueline e Liliane Roriz, desde Janeiro de 2010 (sua primeira campanha). Mensalmente, com as matérias que vão de Celina pegando carona tanto na festas da creche Gotinha de Luz, nos almoços do restaurante comunitário no centro de capacitação profissional de Santa Maria, no APAS, na ADEG da CL 218/318. 
Quer dizer, lhe ajudamos de graça, nunca lhe pedimos um cargo para ninguém da equipe, até porque essa não é a nossa prática.
E o reconhecimento de Celina (hoje nadando no dinheiro) foi dar crédito em boatos sem nos chamar para checar a veracidade das informações. 
Só para lembrar, fomos perseguidos desde o governo Democrático Popular (Cristovam Buarque) mas, nunca ficamos sem veicular uma sequer edição do Jornal até a presente data, e sempre honramos o nosso compromisso. Não é agora que isso irá nos afetar. Porém, daqui pra frente seremos seguidores da Lei de Talião “OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE”.
A campanha de 2018 vem aí, e a história será completamente diferente. 
Vamos mostrar para toda a cidade que a Penélope da CLDF faz jus ao apelido de CELINA MALVADEZA.

CORREIO DE SANTA MARIA.
(Fonte de pesquisa: Correio Braziliense, Jornal de Brasília e Blog do Mino)


FINAL:
QUE COISA FEIA HEIN CELINA?






 Karlão-Sam.


0 comentários :

Postar um comentário